Gravação Rede TV

Gravação Rede TV
Web Repórter

********

********

Karina Bacchi

Karina Bacchi

Tatá werneck

Tatá werneck

*******

*******

Zé Neto e Cristiano

Zé Neto e Cristiano

*******

*******

Popular Posts

Siga-me Aqui

Roberto Cabrini

Roberto Cabrini

CARAS EDIÇÃO 1009

Notícias

(Foto: Divulgação)

POR: CAROLINA FARIA

Não se pode negar que os gêmeos exercem fascínio sobre nós, pois é um tema perene. Sabe-se que, há muitos séculos nascem gêmeos no mundo todo e uma das histórias mais antigas está mencionada no livro de Gênesis: Rebeca concebe os gêmeos Jacó e Esaú.

Com a reprodução assistida, o número de nascimento gemelar aumentou muito nos últimos anos. Existem cidades como Cândido Godói (RS) e Pedralva (Sul de MG) com o índice bem elevado.

Além do fato de que a maternidade vem sendo adiada, e de acordo com algumas pesquisas, a mulher acima dos 30 anos tem maior probabilidade de gerar gêmeos naturalmente. Apesar do crescente número de gestação gemelar, não há ainda no Brasil um cadastro nacional de gêmeos. Então se pergunta: por que os gêmeos não estão nas estatísticas?

Quem questiona é a blogueira paulistana Jemima Pompeu de 42 anos. Ela é gêmea bivitelina de Kesia Pompeu e mentora do projeto Vizinhos de Útero, um site criado com o propósito de reunir histórias de gêmeos adultos, contadas por eles próprios e por seus familiares.

Em uma conversa por telefone, ela ressaltou que seu objetivo é lutar para que a população gemelar brasileira conste no CENSO/IBGE, pois acredita que esses dados podem beneficiar as pesquisas nas áreas da biologia e reprodução humana.

Além da própria história, a autora disponibiliza matérias relacionadas ao assunto, fotos, curiosidades e depoimentos emocionantes. Criado em março de 2010 o site Vizinhos de Útero já se tornou referência no assunto e vem recebendo diversos relatos do Brasil e do exterior. Vale ressaltar que este projeto teve a indicação no twitter do jornalista e apresentador William Bonner que é pai de trigêmeos